• Rafael Gloria

O outro lado da calçada

Toda vez que vou atravessar a rua eu espero o sinal abrir. Os carros estão vindo rapidamente na minha direção. E eu corro igual. Será que um dia algum deles vai me atingir? Eu não estou preocupado, às vezes eu até gostaria que eles me acertassem. Tudo acabaria de um modo mais fácil. Ou recomeçaria, não sei. Provavelmente sentiria muita dor, mas não por muito tempo, acho que dependendo do tamanho do carro. Enquanto corro para alcançar o outro lado da calçada, eu penso fortemente “me acerta, me acerta”. Mas continuo correndo e por poucos segundos não sou estilhaçado no asfalto.

19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Desde os meus 31 anos venho publicando nas minhas redes sociais uma lista de pensamentos avulsos. Eis a de 34 anos. 1 - essa é a quarta vez que faço isso 2 - continuo gostando de envelhecer 3 - aprend

Recebi uma mensagem que dizia “Posso te ligar?”. Assim, seco, direto. Não visualizei, mas fiquei com ela trancada na garganta o dia todo. O que me preocupa são as possibilidades. É a indagação, o sent

Eu te encontrei por volta da uma da tarde, você estava cansada, sentada perto do colégio onde ia voltar a estudar. Você me esperou achando que a gente poderia conversar mais profundamente, por um temp