• Rafael Gloria

O amor está nas coisas anteriores


E l e g a n t e m e n t e ela tira a roupa – peça por peça arrancadas devagar. O silêncio toma conta do ambiente e são apenas dez para nove da noite. As pernas torneadas ensaiam passos, enquanto os olhos de Eduardo já dançam. Fernanda só caminha, sentindo uma coceira suave no pé nu ao arrastá-lo pelo carpete. Algo muda quando vai até o notebook e seleciona uma música suave, como se cantasse para o amante no meio da noite, deixando o ar quase que rarefeito. Devagar, ela também começa a cantar, manhosa, sentindo que seu coração pode parar a qualquer momento. Está sim, mais próxima de Eduardo, está sim só de calcinha e sutiã. O ritmo da música aumenta e várias vozes fazem o backingvocal, tudo seguindo para o fim. Ela ainda não quer, ele sabe que ainda não é a hora. O cabelo preto curto, e o sorriso grande de Fernanda não escondem nada. O desespero observador de Eduardo e o modo como a segue com os olhos não escondem nada. O amor está nas coisas anteriores.

36 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Coluna - Objetivas Ficcionais

Olha o que nós fizemos O barulho alto do ventilador faz eu não te escutar. Essa é a principal função dele no momento - mais do que evitar o calor. A principal função do meu ventilador é eu não ouvir v

Ponteiros ao contrário

Lembra? Quebramos o relógio e depois juntamos os pedaços. Tentamos de novo e de novo Nada deu certo. Por que será? Não era nosso objetivo fazer o mundo girar. O tempo passa rápido, ininterrupto. Agora

Meia noite volta

Meia noite e meia quando Júlio levantou, pôs as calças e acendeu a luzinha fraca, que agora ficava perambulando majestosa, se alargando por todo o quarto. Silêncio voava sob o apartamento e ele sem so