• Rafael Gloria

Meu arranha-céu

Cobriu os pés com as meias avermelhadas, procurando calor. Esparramou os dedos por aquele tecido coberto de linhas e emaranhado de lã fabricada manualmente por alguma senhora antiga, com uma máquina velhinha. Começou a pensar em sua vó e deixou o queixo cair até a mão. Morreu tão sozinha aos 82 anos de idade, toda enrugada a danada. “Braba, toda braba. Tinha raiva de gente”, lembrou. E começou a esticar a perna e o pé já todo coberto pela nova meia que ganhara e começou a virar a cabeça para trás, aos poucos. Acabou caindo, caindo com as costas para o chão, o carpete todo marrom escuro amornando a sala. Esticou o pé para cima e reparou nas meias felpudas, quase vivas. Em movimentos aleatórios tapava com o pé esquerdo a lâmpada amarela e depois destapava, iluminando e assombrando o pequeno rosto.

47 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Coluna - Objetivas Ficcionais

Olha o que nós fizemos O barulho alto do ventilador faz eu não te escutar. Essa é a principal função dele no momento - mais do que evitar o calor. A principal função do meu ventilador é eu não ouvir v

Ponteiros ao contrário

Lembra? Quebramos o relógio e depois juntamos os pedaços. Tentamos de novo e de novo Nada deu certo. Por que será? Não era nosso objetivo fazer o mundo girar. O tempo passa rápido, ininterrupto. Agora

Meia noite volta

Meia noite e meia quando Júlio levantou, pôs as calças e acendeu a luzinha fraca, que agora ficava perambulando majestosa, se alargando por todo o quarto. Silêncio voava sob o apartamento e ele sem so